VÁLVULA BORBOLETA COM FLANGES

A válvula borboleta tem por função a regulagem e o bloqueio do fluxo em uma canalização. É utilizada principalmente em sistemas de adução e de distribuição de água doce bruta ou tratada e em estações de tratamento de água, o fluido não deve exceder a temperatura de 60° C e a pressão de trabalho de 1,6 MPa.

Dimensões e Massas

Mecanismos de Redução

A Pasquetti comercializa acoplados às suas válvulas borboleta com acionamento manual, duas linhas distintas de redutores:

Redutores K:

Tipo coroa sem fim projetados apenas para acionamento manual, não permitem automação futura.

Redutores C:

Tipo coroa sem fim, projetados para acionamento manual, porém, permite facilmente uma automação futura. Estes modelos são utilizados até válvulas de DN 350 para PN16 e DN 450 para PN10. Para os demais diâmetros, utiliza-se o sistema de porca viajante, com a mesma possibilidade de automação futura.

Os mecanismos de redução são do tipo porca viajante ou coroa e sem fim da linha C são de concepção simples, robustos e precisos, oferecem o máximo de segurança durante as manobras.


Tipo Coroa Sem Fim

Tipo Porca Viajante



Válvula Borboleta com Flanges Série AWWA-VBFW


DN 2000 para PN 10
DN 1500 a 2000 para PN 16

Dimensional: norma AWWA C504, série corpo curto
Flanges: norma NBR 7675, PN 10 e PN 16
DN
PN
Abreviaturas
Mecanismo K
Mecanismo C
Cabeçote
Volante
Cabeçote
Volante
75 a 100
10/16
VBF16WKC
VBF16WKV
VBF16WCC
VBF16WCV
200 a 450
10
VBF10WKC
VBF10WKV
VBF10WCC
VBF10WCV
16
VBF16WKC
VBF16WKV
VBF16WCC
VBF16WCV
500 a 600
10
VBF10WKC
VBF10WKV
VBF10WCC
VBF10WCV
16
-
-
VBF16WCC
VBF16WCV
700 a 2000
10
-
-
VBF10WCC
VBF10WCV
16
-
-
VBF16WCC
VBF16WCV
(1) * O DN 75 pode ser fornecido c/ 8 furos para atender ao DN 80

 

Válvula Borboleta Flangeada com Mecanismo de Redução Tipo K (PN 10)
VBF10WKC (com cabeçote)
VBF10WKV (com volante)
DN Dimensões e Massas
L L1 L2 L3 V H Nº de voltas para fechar Mecanismo Massas
Com cab. Com vol. Com cab. Com vol.
mm mm mm mm mm mm mm Kg Kg
75 Ver PN 16
100
150
200 152 47 166 271 152 193 190 6 MK-038 67 71
250 203,2 78 201 272 305 320 292 7,5 MK-039 93 97
300 203,2 78 234 333 305 320 292 7,5 107 111
350 203,2 77 295 353,5 305 315 289 12,5 MK-040 125 135
400 203,2 77 320 404,5 305 315 289 12,5 149 159
450 203,2 77 360 438,5 305 315 322 20 MK-041 193 203
500 203,2 77 355 473,5 305 315 322 20 281 291
600 203,2 77 445 533,5 450 330 337 20 442 452
 
Válvula Borboleta Flangeada com Mecanismo de Redução Tipo K (PN 16)
VBF16WKC (com cabeçote)
VBF16WKV (com volante)
DN Dimensões e Massas
L L1 L2 L3 V H Nº de voltas para fechar Mecanismo Massas
Com cab. Com vol. Com cab. Com vol.
mm mm mm mm mm mm mm Kg Kg
75 127 47 94 170 152 193 190 6 MK-038 30 34
100 127 47 119 187 152 193 190 6 37 41
150 127 47 135 229 152 193 190 6 50 54
200 152 78 166 274 305 320 292 7,5 MK-039 97 101
250 203,2 78 201 272 305 320 292 7,5 123 127
300 203,2 77 234 337,5 305 315 289 12,5 MK-040 145 155
350 203,2 77 295 372,5 305 315 322 20 MK-041 174 184
400 203,2 77 320 423,5 305 315 322 20 200 210
450 203,2 77 360 438,5 450 330 337 20 234 244

 

Válvula Borboleta Flangeada com Mecanismo de Redução Tipo C (PN 10)
VBF10WCC (com cabeçote)
VBF10WCV (com volante)
Dimensões e Massas
L L1 L2 L3 V H Nº de voltas para fechar Mecanismo Massas
Com cab. Com vol. Com cab. Com vol.
mm mm mm mm mm mm mm Kg Kg
75 Ver PN 16
100
150
200 152 73 166 297 250 201 161,5 12 RS50 76,75 77
250 203,2 73 201 294 250 201 161,5 12 96,75 97
300 203,2 73 234 355 250 201 161,5 12 110,75 111
350 203,2 73 295 382 250 201 161,5 12 130,75 131
400 203,2 73 320 404 250 223 183,5 25 RS100 167,75 168
450 203,2 73 360 453 250 223 183,5 25 197,75 198
500 203,2 97 355 544 375 339 318 45 RS600 306 308
600 203,2 97 445 584 375 339 318 45 456 458
700 304,8 97 475 671 375 339 318 45 546 548
750 304,8 97 577 823 375 339 318 45 639 641
800 304,8 121 555 742 1000 438,5 467 84 RS1825 737 743
900 304,8 121 643 800 1000 438,5 467 84 956 962
1000 304,8 121 728 908 1000 438,5 467 84 1131 1137
1200 381 194 816 1031 600 656,5 654 229 RS3030G 1763 1769
1400 381 194 1032 1240 600 656,5 654 229 3134 3140
1500 381 194 1095 1282 600 656,5 654 229 4754 4760
1800 457,2 160 1251 1435 600 844 840 229 RS5035G 6154 6160
2000 533,4 355,6 1294 1466 500 925 920 814
MB83
DB6/D9
10180 10185
 
Válvula Borboleta Flangeada com Mecanismo de Redução Tipo C (PN 16)
VBF16WCC (com cabeçote)
VBF16WCV (com volante)
 
DN Dimensões e Massas
L L1 L2 L3 V H Nº de voltas para fechar Mecanismo Massas
Com cab. Com vol. Com cab. Com vol.
mm mm mm mm mm mm mm Kg Kg
75 127 73 94 212 250 201 161,5 12 RS50 39,75 40
100 127 73 119 229 250 201 161,5 12 46,75 47
150 127 73 135 271 250 201 161,5 12 59,75 60
200 152 73 166 297 250 201 161,5 12 100,75 101
250 203,2 73 201 294 250 201 161,5 12 126,75 127
300 203,2 73 234 355 250 223 183,5 25 RS100 163,75 164
350 203,2 73 295 382 250 223 183,5 25 178,75 179
400 203,2 97 320 433 375 339 318 45 RS600 225 227
450 203,2 97 360 482 375 339 318 45 248 250
500 203,2 97 355 544 375 339 318 45 296 298
600 203,2 97 445 584 375 339 318 45 392 394
700 304,8 121 475 700 1000 438,5 467 84 RS1825 528 534
750 304,8 121 577 852 1000 438,5 467 84 684 690
800 304,8 121 555 742 1000 438,5 467 84 767 773
900 304,8 121 643 800 1000 438,5 467 84 831 837
1000 304,8 194 728 970 600 656,5 654 229 RS3030G 1233 1239
1200 381 194 816 1031 600 656,5 654 229 1803 1809
1400 381 160 1032 1240 600 844 840 229 RS5035G 3484 3490
1500 381 355,6 1095 1193 500 925 920 814 M83
DB6/D9
5200 5205
1800 457,2 355,6 1251 1368 500 925 920 814 6710 6715
2000 533,4 355,6 1294 1466 500 925 920 814 10260 10265

 

Instalação
 
Pode ser instalada enterrada ou aérea. Quando enterrada, deve ser colocada em câmara de manobra.

Posição do eixo do disco:
A válvula é usualmente instalada de forma que o eixo do disco fique na posição horizontal, a mais recomendável. Quando se fizer necessária a instalação da válvula com o eixo na posição vertical, convém que o mecanismo fique na parte superior da válvula. A posição eixo na vertical e mecanismo na parte inferior é totalmente desaconselhável. Nas válvulas DN > 1200, o eixo na posição horizontal é a única solução possível.



Posição do mecanismo de redução:
Nas válvulas que trabalham com o eixo do disco na horizontal, o mecanismo de redução pode ser montado, na fábrica, em qualquer uma das quatro posições mostradas na figura a seguir:

As válvulas de fabricação normal são fornecidas com o mecanismo na posição 1. As outras posições de montagem devem ser indicadas nas consultas e pedidos.
Posições do mecanismo de redução
Posição 1 Posição 2 Posição 3 Posição 4
sentido do fluxo sentido do fluxo sentido do fluxo sentido do fluxo
Nota: as setas curvas indicam o sentido de fechamento da válvula
 
Estocagem

São despachadas na posição fechada, devendo ser estocadas nesta posição.

ATENÇÃO: Para evitar danos aos elastômeros, as válvulas devem ser estocadas em locais cobertos, ao abrigo dos raios solares.

 

Acionamento
 

As válvulas borboleta podem ser acionadas:

  • manualmente;
  • por atuadores hidráulicos;
  • por atuadores pneumáticos;
  • por atuadores elétricos.

A seleção do tipo de acionamento depende da aplicação e das condições de serviço em que operarão as válvulas. Para maiores informações, consultar a Pasquetti.

ATENÇÃO: Não são recomendadas operações a seco.

Acionamento Manual

Com volante:
Acionamento utilizável principalmente nos casos de instalações aéreas ou em câmaras de manobra.

Com chave T e haste de prolongamento:
Este acionamento é utilizado somente nas válvulas borboleta sob reaterro direto ou instaladas em câmaras de manobra com eixo de operação na posição vertical.

Com volante sobre pedestal de manobra:
Acionamento somente aplicável a válvulas borboleta instaladas sob galerias de operação vertical.

Nas consultas ou pedidos, especificar a altural H entre o eixo da válvula (o mesmo da tubulação) e o nível do piso de manobra.

Com volante Com chave T Com volante sobre pedestal de manobra
 

Acionamento Hidráulico ou Pneumático

Os cilindros para o acionamento hidráulico ou pneumático são montados diretamente sobre as válvulas e estão disponíveis em três versões:

  • bronze centrifugado;
  • aço revestido internamente com cromo duro, recomendado para operar com ar comprimido, água ou óleo em ambientes não corrosivos.

Nas consultas e pedidos, fornecer as seguintes informações:

  • P - diferencial de pressão entre montante e jusante da válvula;
  • pressão do fluido disponível para acionamento.

Acionamento Elétrico

As válvulas borboleta também podem ser fornecidas com atuadores elétricos. Consultar a Pasquetti, fornecendo as seguintes informações:

  • características da corrente elétrica disponível (tensão, freqüência, nº de fases);
  • controle local e/ou remoto;
  • necessidade ou não de um painel de controle incorporado ao atuador;
  • se a válvula trabalhará com função on-off (totalmente aberta ou fechada) ou de regulagem (modulação);
  • P - diferencial de pressão entre montante e jusante da válvula;
  • tempo de operação da válvula (caso não seja conhecido, favor consultar a Pasquetti );
  • local onde será instalada a válvula.

Mecanismo de Redução

Os mecanismos de redução são do tipo K ou C. De concepção simples, robustos e precisos, oferecem o máximo de segurança durante as manobras.

 

Características Construtivas

As válvulas borboleta flangeadas comercializadas pela Pasquetti, caracterizam-se por sua robustez, qualidade, pela simplicidade de sua construção e pela facilidade de instalação, operação e manutenção.

Principais Características:

As válvulas borboleta flangeadas comercializadas pela Pasquetti, são constituídas de um corpo de ferro fundido dúctil, dotado de um disco no mesmo material, posicionado de forma excêntrica, com a possibilidade de girar em um eixo de 90º. No corpo existe um anel metálico fabricado em aço inoxidável, que, juntamente com o anel de elastômero do disco, promovem a vedação da válvula.

Suas principais características são:

  • Possibilidade de utilização em função de bloqueio e controle;
  • Pontos para fixação de olhal de içamento e sistema de apoio para válvulas com DNs
    superiores a 400 mm;
  • Construção excêntrica: os eixos não tem interferência com plano de vedação
    exigindo baixo torque no momento de abertura e fechamento, gerando maior
    confiabilidade e prolongando a vida útil de vedação;
  • Junta de vedação automática de 360º em borracha sintética (Buna-N),
    inteiriça sem furos ou emendas;
  • Vedação 100% estanque em ambos os sentidos de fluxo ;
  • Possibilidade de substituição e ajustagem da junta de vedação sem que sejam removidos os eixos do disco, podendo, inclusive, ser feita com a válvula montada na linha para DNs iguais ou superiores a 600 mm.

Normalização:

Padrão construtivo e face a face, segundo a norma americana AWWA C-504, classe 150 B, corpo curto.

Flanges:

Os flanges de fabricação normal são entregues com furação ABNT NBR 7675 (equivalente a ISO 2531), PN 10 ou PN 16, podendo, sob consulta, serem fornecidos os gabaritos de furação conforme as normas ANSI B16.1, ANSI B16.5 e AWWA C207.

Uma válvula borboleta com flanges é formada por:

  • um corpo (1) em forma cilíndrica, dotado de flanges em ambas as extremidades para a sua conexão à canalização;
  • um disco (2) em forma lenticular que bloqueia, libera ou regula a passagem do fluido;
  • dois semi-eixos (3) em aço inox, atuando diretamente no disco, um para suporte e outro para acionamento, transmitindo o movimento de abertura e fechamento da válvula;
  • buchas (4) autolubrificantes como guias do eixo;
  • uma sede de vedação (5) em inox, sob a forma de um anel cravado no corpo, sobre o qual é usinado um perfil que garante uma perfeita vedação;
  • uma junta de vedação (6) que consiste em um anel de Buna N (6A), fixado ao disco por um anel de aperto (6B), garantindo a vedação, independente do sentido de fluxo.

Devido às suas características construtivas, as válvulas borboleta Pasquetti apresentam as seguintes vantagens:


  • estanqueidade perfeita, independente do sentido do fluxo;
  • possibilidade de substituição da junta de vedação sem a desmontagem do disco;  
  • mínimo torque de fechamento;
  • ausência de vibrações na posição semi-aberta.
Componentes Materiais
1 Corpo Ferro dúctil NBR 6916 classe 42012
2 Disco Ferro dúctil NBR 6916 classe 42012
3 Anel de aperto Ferro dúctil NBR 6916 classe 42012/
Aço Inox ASTM A-351 Gr CF8
4 Tampa Ferro dúctil NBR 6916 classe 42012
5 Porta-junta Ferro dúctil NBR 6916 classe 42012
6 Eixo de suporte Aço inoxidável AISI 304
7 Eixo de acionamento Aço inoxidável AISI 304
8 Sede de vedação Aço inoxidável AISI 304
9 Buchas superior e inferior Teflon reforçado com bronze
10 Junta de vedação Borracha sintética tipo Buna N
11 Anel bipartido Bronze
12 Anel o'ring Borracha
13 Gaxeta Tecido empregnado com borracha nitrílica - tipo chevron
14 Parafuso Allen Aço inoxidável AISI 304
15 Pino de trava Aço carbono
 

Revestimento

Primer em epóxi de alta espessura, bi-componente, curado com poliamida e sem pigmentos anticorrosivos tóxicos. Acabamento fosco, azul RAL 5005, espessura mínima de camada com película seca de 150 µm.

Para revestimentos especiais, consultar a Pasquetti.

 

Normalização
 

Válvula Borboleta com Flanges, Série AWWA:

Padrão construtivo e face a face segundo a norma americana AWWA C 504 classe 150B, série corpo curto.

Flanges

As válvulas Borboleta podem ser fornecidas com gabarito de furação dos flanges de acordo com as seguintes normas:

  • ABNT NBR 7675 PN10/PN16 (ISO 2131 PN10/PN16)
  • ANSI B 16.1 - 125 lb
  • ANSI B 16.5 - 150 lb.
  • AWWA C 207 Clase D.

Demais gabaritos de furação, sob consulta.

 

Especificações Técnicas
 

Válvula Borboleta AWWA C504 – Classe 150

Válvula Borboleta com extremidades flangeadas, com gabarito de furação conforme (I), corpo curto, construção de acordo com a Norma AWWA C-504, classe 150B, corpo com espessura mínima conforme tabela 2 da referida Norma e disco em ferro fundido dúctil NBR 6916 classes 42012 com espessura máxima de 2,25 vezes o diâmetro do eixo, sede de vedação do corpo em aço inoxidável ASTM A-240 tipo 304 (AISI 304), junta de vedação automática de 360º em borracha sintética (Buna-N), inteiriça sem furos e emendas, com vedação em ambos os sentidos de fluxo, fixada ao disco por anel de aperto em ferro fundido (alternativamente em aço inoxidável 18.8 AISI 304) e parafusos embutidos tipo Allen em aço inoxidável 18.8 (AISI 304), permitindo substituição e ajustagem sem que sejam removidos os eixos do disco. Eixos do disco em aço inoxidável ASTM A276 tipo 304 com diâmetro mínimo de acordo com tabela 3 da referida Norma, divididos em dois semi-eixos, sendo que cada ponta de eixo é inserida nos mancais do disco da válvula a um comprimento de pelo menos 1,5 vezes o diâmetro, mancais de escorregamento do corpo com bucha em teflon reforçado com bronze para rotação dos eixos e apoio do disco. A fixação dos semi-eixos à borboleta é feita por meio de pinos. O eixo de acionamento com engaxetamento tipo chevron (tecido impreguinado com borracha nitrílica) de forma a prevenir fuga de fluido e permitir a retirada do sistema de acionamento com a válvula instalada em linha pressurizada. Todo o conjunto semi-eixos/borboleta possui um sistema que não permite o deslocamento axial e consequentemente vazamento através da junta de vedação. O equipamento possui pés de apoio de forma a poder ser posicionada ao solo de forma estável sem auxílio de anteparos ou travamentos externos e ainda sistema auxiliar de movimentação. Todos os componentes da válvula, com exceção daqueles fabricados em inox são revestidos interna e externamente com primer epóxi de alta espessura bi-componente curada com poliamida sem pigmentos anticorrosivos tóxicos. Acabamento fosco, azul RAL 5005, espessura mínima total de película seca de 150 micra e com certificado de inexistência de contaminação por pigmentos tóxicos. Marcação no corpo da válvula em alto relevo: Diâmetro Nominal; Pressão Nominal; Designação padronizada do FoFo nodular; Marca do fabricante; Padrão Construtivo: AWWA-C504; Código para rastreabilidade e identificação referente ao mês e ano de fabricação, outras marcações são informadas em placas de indentificação de alumínio, fixada ao corpo da válvula através de rebites e acionamento através de acionamento através de (II).

(I) Extremidades

Com flanges, gabarito de furação de acordo com a norma NBR 7675 (ISO 2531) PN 10.
Com flanges, gabarito de furação de acordo com a norma NBR 7675 (ISO 2531) PN 16.
Com flanges, gabarito de furação conforme Norma ANSI B16.5 - Classe 150 Libras
Com flanges, gabarito de furação conforme Norma ANSI B16.1 - Classe 125 Libras
Com flanges, gabarito de furação conforme Norma AWWA C207 - Classes ´´D``
Com flanges, gabarito de furação conforme Norma AWWA C207- Classes ´´E``

(II) Acionamento

Mecanismo de Redução Tipo C e Cabeçote
Mecanismo de Redução Tipo K e Cabeçote
Mecanismo de Redução Tipo C e Volante
Mecanismo de Redução Tipo K e Volante
Atuador Elétrico
Atuador Hidráulico
Atuador Pneumático
Atuador Hidro-Pneumático

 

Testes na Fábrica
 
Os procedimentos em nossa bancada de testes na fábrica, para os ensaios de estanqueidade e resistência mecânica do corpo quando submetido à pressões, estão de acordo com a norma AWWA C 504.

As pressões de teste são as seguintes:

 
Válvulas Borboleta com Flanges AWWA
Classe Pressão Máxima
de Serviço
Pressão de Teste
Corpo Sede de Vedação
PN MPa MPa MPa
10 1,0 2,1 1,0
16 1,6 3,2 1,6

 

Perda de Carga
 
A perda de carga localizada na válvula borboleta pode ser calculada pela expressão:

H = K × V 2 / 2g (m.c.a)

Nesta expressão, V é a velocidade de escoamento, em m/s correspondente a um ângulo de abertura da válvula, g a aceleração da gravidade, em m/s2 e K o coeficiente de perda de carga, cujos valores são os seguintes:

 
Aberta
10° 20° 30° 40° 50° 60° 70° 80° 90°
K 670 145 47 18 7 3 1,4 0,7 0,36

 

Pressões Admissíveis
 
Padrão
Construtivo
Série Faixa
de DN
Classe de
Pressão
Pressões Admissíveis (MPa)
0,1 0,25 0,4 0,6 1,0 1,6
Válvula Borboleta com Flanges (NBR 7675) - Série AWWA
AWWA C 504
Classe 150 B
Corpo
Curto
75 a 2000 PN 16
PN 10
Nota: demais classes de pressão sob consulta.

 

Acessórios: Parafusos série AWWA- PBFW
 
Parafusos sem porca Parafusos com porca

ABREVIATURAS - Série AWWA
DN PN Abrev.
75 a 150 10    Veja a tabela abaixo PBFW16
16    Veja a tabela abaixo
200 a 2000 10    Veja a tabela abaixo PBFW10
200 a 2000 16    Veja a tabela abaixo PBFW16
 
Série AWWA
DN PN 10
d Com Porca Sem Porca Massa do
Conjunto
L Quantidade L Quantidade
Polegadas Polegadas Polegadas kg
75 5/8 3 8 - - 2,1
100 5/8 3 12 1 3/4 4 3,5
150 3/4 3 1/4 8 1 3/4 8 4,5
200 3/4 3 1/2 12 2 4 5,8
250 3/4 4 20 2 1/4 4 9,8
300 3/4 4 16 2 1/4 8 8,5
350 3/4 4 24 2 1/2 8 12,2
400 7/8 4 1/2 24 2 1/2 8 18,5
450 7/8 4 1/2 32 2 1/2 8 25,5
500 1 5 32 2 3/4 8 33,9
600 1 5 32 3 8 33,9
700 1 5 1/2 40 3 1/2 8 43,8
750 1 1/8 6 40 3 3/4 8 62,2
800 1 1/8 6 40 3 3/4 8 62,2
900 1 1/8 6 1/2 48 3 1/2 8 76,9
1000 1 1/4 7 48 3 1/2 8 102,4
1200 1 3/8 7 1/2 56 3 3/4 8 154,3
1400 1 1/2 8 64 5 8 223,2
1500 1 1/2 8 64 5 8 223,2
1800 1 3/4 10 72 4 1/4 16 415,1
2000 1 3/4 10 80 5 16 459,0

 

DN PN 16
d Com Porca Sem Porca Massa do
Conjunto
L Quantidade L Quantidade
Polegadas Polegadas Polegadas kg
75 5/8 3 8 - - 2,1
100 5/8 3 12 1 3/4 4 3,5
150 3/4 3 1/4 8 1 3/4 8 4,5
200 3/4 3 1/2 16 2 8 8,0
250 7/8 4 20 2 1/4 4 14,1
300 7/8 4 16 2 1/4 8 12,3
350 7/8 4 1/2 24 2 1/2 8 18,5
400 1 4 1/2 24 2 3/4 8 39,0
450 1 5 32 2 3/4 8 52,2
500 1 1/8 5 1/2 32 3 8 48,3
600 1 1/4 6 32 3 1/4 8 60,4
700 1 1/4 6 1/2 40 4 8 77,7
750 1 1/4 6 1/2 40 4 8 77,7
800 1 3/8 7 40 4 8 108,3
900 1 3/8 7 48 4 8 128,7
1000 1 1/2 8 48 4 8 169,2
1200 1 3/4 8 1/2 56 4 1/2 8 290,3
1400 1 3/4 9 64 4 1/2 8 340,4
1500 2 10 64 5 3/4 8 488,2
1800 2 10 72 5 16 562,1
2000 2 1/4 11 80 5 3/4 16 906,4
 
Acessórios Opcionais

Sob consulta, a Pasquetti pode fornecer os seguintes acessórios:
  • chave T, para acionamento direto;
  • pedestal de manobra, para acionamento direto à distância;
  • chave fim de curso, para indicação de posição em painel de controle;
  • posicionadores, para controle automático;
  • válvula direcional, tipo manual ou solenóide;
  • válvula de controle de velocidade, para controlar o tempo de abertura e fechamento da válvula;
  • haste de prolongamento com tubo protetor, para manobras diretas à distância, podendo ser fornecida com ou sem indicação de abertura.
Tabela de Arruelas - Válvulas Borboleta Flangeada

DN Dimensões e Massas
DI PN10 PN16
DE e Massa DE e Massa
mm mm mm Kg mm mm Kg
75 80 126 3,0 0,03 126 1,5 0,02
100 105 152 3,0 0,04 152 1,5 0,02
150 155 208 3,0 0,05 208 1,5 0,04
200 205 263 3,0 0,09 263 1,5 0,05
250 255 318 3,0 0,14 318 1,5 0,07
300 305 366 3,0 0,14 366 1,5 0,08
350 355 426 3,0 0,17 431 1,5 0,10
400 405 477 3,0 0,20 484 1,5 0,13
450 455 527 3,0 0,24 545 1,5 0,15
500 505 582 3,0 0,32 606 1,5 0,21
600 605 682 3,0 0,35 721 1,5 0,28
700 705 797 5,0 0,47 797 3,0 0,48
750 755 854 5,0 0,50 854 3,0 0,50
800 805 904 5,0 0,58 904 3,0 0,59
900 905 1004 5,0 0,65 1004 3,0 0,66
1000 1005 1111 5,0 0,87 1115 3,0 0,87
1200 1205 1330 5,0 1,20 1330 3,0 1,18
1400 1410 1530 5,0 1,55 1530 5,0 1,55
1500 1510 1640 5,0 1,95 1640 5,0 1,95
1800 1810 1950 5,0 2,95 1950 5,0 2,95
2000 2010 2150 5,0 3,65 2150 5,0 3,65

 

Características do Sistema de Vedação


1 - Vazio destinado à expansão da borracha;
2 - Estrias de fixação da junta de vedação, reduzindo a deformação da borracha;
3 - Sede de vedação cilindro cônica;
4 - Zona de interferência na sede de vedação, assegurando a perfeita estanqueidade através de uma ótima compressão da junta;
5 - Junta de vedação em Buna N;
6 - Anel de aperto em aço inoxidável ou ferro fundido;
7 - Parafusos de fixação do anel de aperto embutidos e confeccionados em aço inoxidável;
8 - Obturador em ferro fundido nodular.


Junta Automática Junta Mecânica


1 - Junta de vedação "solta", com espaço para acomodação sem criação de esforços danosos ao funcionamento do sistema;
2 - O fluido auxilia na vedação;
3 - Anel de vedação totalmente travado: não existe espaço para acomodação sem a criação de esforços danosos ao funcionamento do sistema podendo chegar, em casos extremos, a ficar danificado;
4 - O fluido auxilia muito pouco na vedação.


Vantagens da Utilização da Junta Automática
  • Estanqueidade garantida pela geometria da junta de vedação e à sua forma de fixação ao obturador. A borracha é comprimida sem ocorrência de esmagamento. Com a ação do fluido sobre a borracha, surge uma deformação, aumentando ainda mais o desempenho da vedação. Na junta mecânica a vedação ocorre através de um forte esmagamento e o fluido não tem ação significativa na vedação;
  • Na junta mecânica, a fixação do anel de vedação ao obturador precisa ser controlada. Quando isto não é feito, surgem deformações que podem causar vazamentos. A junta automática permite a livre fixação do anel de vedação. A deformação é orientada, não interferindo no desempenho da vedação;
  • O torque para fechar a válvula é menor, pois não existe um esmagamento do anel de vedação;
  • Como existe espaço para pequenas acomodações, o anel de vedação da junta automática consegue se adaptar a pequenas incrustações na sede da válvula;
  • A junta automática da Saint-Gobain Canalização oferece uma perfeita estanqueidade em ambos os sentidos de fluxo.


 
Copyright © 2005/09
Todos os direitos reservados
 
PASQUETTI - Comércio de Materiais Hidráulicos - Rua: Arapiranga,55/93 - Vila Formosa
São Paulo - SP - Fones: (11)2784 4311 / 2784 4188 / 2784 4314 - www.pasquetti.com.br